Como ficar rica rápido

Vejo tanta gente à procura de uma forma de fazer dinheiro rápida, em que duplicam ou triplicam o valor que investiram rapidamente e desvalorizando o investimento menos arriscado, mais conservador mas que também involve risco e que rende à volta de 10% ao ano. Rapidamente essas pessoas apercebem-se que podem ter sorte uma ou duas vezes, conseguindo o tal retorno espectacular, mas o mais provável é à terceira perderem todo o dinheiro que investiram e mais algúm.

Neste artigo quero-te mostrar duas coisas:

1 – Que 10% ao ano é mais do que suficiente para ficares rica e poderes dormir descansada à noite. E que, sim, tu consegues investir e ter um retorno médio de 10% ao ano facilmente.

2 – Mais importante do que o retorno do teu investimento são as decisões que tomas numa fase inicial de crescimento de riqueza, que é provavelmente a fase onde estás agora. Vou-te contar todas as minhas decisões e como elas, há 7 anos atrás, permitiram que hoje consiga pagar uma parte significativa das minhas despesas mensais com os retornos dos meus investimentos.

 

Vamos começar pelo primeiro ponto que é fundamental e fez toda a diferença no meu foco para o crescimento financeiro! 10% ao ano é mais do que suficiente para seres muito bem sucedida financeiramente. Vou explicar porquê com alguns exemplos.

Neste primeiro gráfico mostro-te quando terias em 40 anos se poupasses e investisses 100 Euros por mês. Assumi uma taxa de retorno de 8% ao ano que é uma taxa realista e perfeitamente possível de obter num investimento de longo prazo depois de pagares os impostos, que, em Portugal, na grande maioria, são de 28%.

Neste cenário, ao final de 40 anos terias 400 mil Euros. Desmotivante? Para alguns pode ser, mas também pouco realista para a maioria de nós.

100

Porquê pouco realista? Sei que muita gente tem dificuldade em ter dinheiro a sobrar no final do mês, mas lembra-te que os 100 Euros são uma média. Se recebes 1000 Euros por mês e conseguires poupar o subsídio de férias e Natal na totalidade, mesmo que não poupes mais nada durante o ano, então consegues poupar 2000 Euros por ano, o que dá uma média de quase 170 Euros por mês.

Se tens um salário de 1000 Euros ou mais e se te focares em planeamento e organização financeira facilmente irás poupar mais de 100 Euros por mês em média. Se não consegues poupar por muito que já tenhas cortado em todas as tuas despesas e tenhas um plano concreto para te organizares financeiramente, então a solução é mesmo renda extra.

Peço-te que imagines o seguinte cenário de mente aberta. Imagina que consegues poupar 500 Euros todos os meses. Podes ser tu sozinha ou em casal. Lembra-te que não é só a poupança por mês, mas também a poupança que consegues fazer com o reembolso do IRS, que podes investir, subsídios, bónus do trabalho, presentes de casamento, entre muitas outras coisas que recebemos ao longo da vida e tendemos a gastar. Tens agora outra hipótese que te vai trazer muito mais liberdade na tua vida: investir! Podes só conseguir poupar 100 ou 200 Euros por mês e ir buscar o restante valor a estes rendimentos extra.

500

Neste cenário, em que poupas 500 Euros por mês, passados 40 anos terias uma riqueza de 2 milhões de Euros! 2 milhões de Euros é muito! Eu não preciso de 2 milhões de Euros por mês para tudo aquilo que quero fazer na vida, na realidade, preciso de bem menos de 1 milhão (este será um tema de um próximo post, em que te ajudarei a definir o valor que tu precisas de riqueza para viveres a tua vida rica. Spoiler alert: na maior parte dos casos é inferior ao que tu pensas).

Imagina agora que consegues poupar, em casal, 1000 Euros por mês. Já sei, já sei. Mas, Inês, quem é que consegue poupar 1000 Euros por mês em Portugal, se os salários médios são inferiores a 1000 Euros? Lembra-te que aqui estou a falar de uma poupança total de 12.000 Euros por ano. Imagina que recebes 3000 Euros de subsídios que consegues poupar, 1000 Euros de bónus e ainda 1000 Euros de reembolso de IRS. Só terias que poupar 500 Euros por mês (se for em casal seria o equivalente a 250 Euros cada um) e conseguirias uma poupança média de 1000 Euros por mês.

Há três hipóteses e deves focar-te em duas destas três se queres conseguir poupar dinheiro a sério:

– Aumentar os teus rendimentos conseguindo um trabalho melhor pago e/ou renda extra

– Cortar os teus gastos ao máximo: vender o teu carro, viver numa casa pior, etc etc. Sim, eu sei, doi!

– Emigrar para um país onde consigas poupar mais: não te foques apenas no aumento do rendimento quando emigres mas sim no custo do vida do país. Eu conheço muita gente que emigrou e conseguiu um salário muito melhor, mas, por gastarem tanto, as suas poupanças não aumentaram quase nada.

1000

Neste cenário, em pouco mais de 10 anos já terias uma riqueza de meio milhão de Euros, um número bastante confortável para viveres a tua vida de abundância. Serias milionária ou uma família milionária em pouco mais de 20 anos.

Agora sonha ainda mais alto e imagina que conseguias poupar ainda mais por mês 😊 Os resultados aí são extraordinários! E isso leva-me ao segundo ponto que tem a ver com a importância das decisões que tomas nos primeiros meses/anos em que começas a acumular riqueza.

Uma grande parte do meu sucesso tem a ver com o facto de ter conseguido uma poupança muito elevada nesta fase inicial e isto deveu-se não só a ter um salário elevado mas principalmente a não ter coisas. E porque é que não ter coisas é tão importante?

O facto de eu não ter nada, e aqui refiro-me aos grandes gastos, em particular o carro e a casa própria, permitiu-me não ter quase nunca gastos extraordinários ou imprevisíveis por mês. Conseguia controlar bem o meu orçamento e viver de acordo com o meu objetivo de poupança.

Mais importante do que estudar investimentos e ter retornos, que são, por natureza, incertos, é importante focares-te no que consegues controlar: os teus gastos e aquilo que consegues investir todos os meses. Focar-me nisso levou-me a vender o meu carro, que me tinha sido dado por familiares, e a criar um plano de organização e planeamento financeiro que foi difícil numa fase inicial, mas que hoje funciona em piloto automático.

Quando comecei, em 2014, a focar-me em crescer a minha riqueza, não tinha praticamente poupanças nenhumas. Vendi tudo aquilo que não me fazia falta e criei o meu fundo de liberdade (embora na altura ainda não soubesse conscientemente que o estava a fazer).

Anotei todos os meus gastos ao cêntimo, criei um orçamento para cada categoria de gastos e reduzi o que geralmente se chama de nível de vida. Passei a comer fora muito menos, ajustei as minhas refeições para que fossem o mais barato possível, aluguei um estúdio muito pequeno e barato, poupei todo e qualquer extra que recebi e cortei naquilo que para mim fazia sentido cortar. Sim, com alguns sacrifícios mas nenhum que me tenha arrependido! Foi provavelmente o ano mais feliz da minha vida até então 🙂

Hoje, 7 anos depois, não preciso de anotar os meus gastos nem deste controle ao cêntimo. Controlo a minha riqueza e vejo-a subir todos os meses. A verdade é que não é possível ficar rica em meses, mas é possível, em menos de 10 anos, viveres a tua vida de liberdade e abundância.

 

Disclaimer: A autora do blog Mais Que Poupar não está registada como analista financeira nem como consultora autónoma, não providenciando recomendações ou aconselhamento financeiro, nomeadamente no que diz respeito à aquisição ou transação de instrumentos financeiros. Todo o conteúdo presente neste blog tem apenas fins informativos e educacionais, sendo qualquer decisão de investimento baseada nos conhecimentos educativos adquiridos no presente website da exclusiva responsabilidade da leitora. O/a leitor(a) deve recorrer a aconselhamento junto de um profissional quando o seu perfil de risco e a tipologia dos instrumentos assim o exijam.

Autora: Inês Correia

https://www.maisquepoupar.com/pouparmais/

https://www.instagram.com/mais.que.poupar/

Deixe um comentário