20 Dicas para Comprar Roupa 2ª mão (online)

Antes de mais, é importante realçar que a nossa sugestão é comprares apenas o que precisas, e só se não for possível alugar. E antes de tentares encontrar o que precisas nas “ditas lojas normais”, sugerimos que faças uma ronda pelas lojas online ou plataformas de venda de roupa em 2ª mão. Hoje em dia há tanta escolha, para todos os gostos e feitios que temos a certeza que vais encontrar a peça que precisas!

 

Também sabemos que existem muitas páginas online de particulares que fazem a venda dos seus artigos, mas na nossa opinião estas não te darão tantas garantias de uma compra segura, porque também exigem o pagamento adiantado (como em qualquer loja online) mas não procedem a devoluções e não se responsabilizam por extravios. Existe assim neste caso mais risco na compra, mas a decisão é tua.

 

Abaixo estão as dicas de alguém que já compra roupa em 2ª mão há mais de 20 anos (online há quase tantos....) e que esperamos que te ajude e facilite a entrada neste “novo” mundo da roupa em 2º mão online:

 

  1. Nas plataformas “oficiais” existe sempre uma avaliação ao vendedor, ou testemunhos de quem já comprou. Tenta comprar, sempre que possível, a quem tem boas avaliação ou até é vendedor “certificado”;

 

  1. Escolhe, se estiveres em plataformas nacionais (ex.: OLX) a tua região/zona de residência porque desta forma evitas os custos de envios por correio, além que podes combinar entregas em mão (dinheiro contra a peça)...

 

  1. Começa por adquirir peças de baixo valor... se correr mal, o prejuízo não será tão grande...

 

  1. Analisa bem as fotos e se tiveres dúvidas, faz perguntas e/ou pede mais fotos, detalhes e/ou pormenores ou até medidas para alguns artigos. Ex.: há malas que em fotografias parecem enormes mas depois não o são...

 

  1. Compra apenas artigos que não necessitam de investimento extra, por exemplo, arranjos, limpeza a seco, etc. a não ser que queiras despender desse valor e/ou o valor da peça seja fantástico e vale o investimento à posteriori. Ex.: sobretudo de marca premium que está impecável mas para o vestires terá de ter previamente uma limpeza a seco... faz contas antes de avançares. Acontece o mesmo em artigos de pele...

 

  1. Compara (sempre que possível) preços com artigos semelhantes para perceberes se o preço está alinhado ou inflacionado;

 

  1. Em termos de valores para roupa “normal”, a nossa bitola é que o artigo em 2ª mão (em bom estado) valha menos 50% a 60% que o preço em loja; Se tiver etiqueta o seu valor deverá ser menos 30%. No entanto, tudo depende do estado da peça, conservação, tecido, raridade, etc...

 

  1. Se estivermos a falar de peças antigas, vintage, premium, marcas de luxo, a relação de preço é outra. Estas peças, ao contrário das peças “mass market” têm tendência a valorizar porque são únicas, de produção limitada, modelos exclusivos, etc.. Neste caso, os vendedores estão mais à vontade para pedir os valores que entenderem;

 

  1. Nem tudo é vintage. Como se tornou moda e trendy existe alguma especulação neste sentido. Para uma peça ser vintage tem que ter no mínimo 20 anos, mas tens vintage dos anos 90, como dos anos 30/40/50. Uma boa forma de perceber se é vintage novo ou antigo é veres os fechos. Fechos de plástico só começaram a ser usados no final dos anos 60;

 

  1. Se comprares em plataforma internacionais (EUA, UK, por exemplo), tem atenção aos números porque a marcação é diferente da nossa. Acontece o mesmo em Itália...

 

  1. De preferência combina entregas em mão. Combina SEMPRE em locais movimentados, públicos e durante o dia. Ex.: centros comerciais, estações de metro... Se conseguires ir acompanhada, melhor;

 

  1. Se tiveres dúvidas com tamanhos ou vestires vários, combina em centros comerciais para experimentares na casa de banho, por exemplo;

 

  1. Se comprares marcas que já conheces, será mais fácil reconheceres um número ou um modelo de calças, por exemplo;

 

  1. Em relação a marcas, vê bem se a peça é original ou contrafação. Para conseguires fazer esta distinção tens de ter atenção alguns pormenores: logotipo, chapa com logotipo, a perfeição das costuras, os pespontos;

 

  1. Peças com aplicações, lantejoulas e outras têm tendência a degradar-se mais;

 

  1. Se te interessares por alguma peça, dá uma vistinha de olhos nos outros artigos deste vendedor, porque à priori terá outras peças que se calhar te vão agradar;

 

  1. Não aconselhamos compras por correio, mas se quiseres arriscar compra apenas artigos cujas fotos sejam reais e bem tiradas e a vendedores com boas avaliações;

 

  1. Segue as marcas nas redes sociais porque assim consegues ter acesso a informação adicional, como comentários, feedbacks, política de devoluções, ADN da marca, seu posicionamento, etc...;

 

  1. Se puderes aluga, corres menos riscos e poupas dinheiro e o ambiente. Porquê comprar um vestido de cerimónia ou roupa de grávida se só vais usar por um tempo muito limitado?...;

 

  1. NUNCA facultar dados bancários/cartões de crédito em vendas particulares. O pagamento deve ser feito apenas contra a entrega do artigo.

 

Ajudaram-te estas dicas? Tens outras para partilhar connosco? Estamos sempre disponíveis para aprender mais sobre esta "arte". :)

 

Autor: Susana Cunha Trindade

CEO & Founder Mom-to-Mom

Deixe um comentário